Olá, tudo bem?

Uma pesquisa da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH) constatou que as despesas das corporações brasileiras com assistência médica consomem, em média, 12% do orçamento da área de recursos humanos, podendo chegar até 20%.

Com a participação de 668 empresas, o estudo apontou que as despesas com planos de saúde só ficam atrás dos  gastos com o salário dos funcionários e são maiores do que o investimento realizado para a capacitação dos empregados. Em um cenário de instabilidade econômica, as organizações necessitam de bastante planejamento para evitar que as despesas atrapalhem no desenvolvimento dos serviços e na manutenção do negócio. A Resolução Normativa 433 da ANS, também estabelece que as operadoras de planos de saúde podem oferecer descontos, bônus ou outras vantagens aos que adotarem boas práticas voltadas para a qualidade de vida.

Segundo a analista, Vivian Vasques, da Ecarpay, os mecanismos de regulação, mais especificamente a coparticipação, já são utilizados amplamente no desenho dos programas de benefício de saúde no Brasil e são
dispositivos cruciais para evitar desperdícios de recursos na saúde suplementar. Atualmente, vem aumentando o número de empresas que, nos solicita a aplicação da coparticipação, é um modelo de ferramenta para coibir o
uso indiscriminado e patrocinar uma utilização mais consciente da assistência
médica”.

A Ecarpay conta com uma equipe especializada em Gestão de saúde e demais benefícios para o seu colaborador e ou sua empresa. Entre em contato conosco.

Compartilhe nas redes